Terça-feira, 02.10.07















Pois é, hoje acordei com esta do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda(DEM) - Ele demitiu o gerúndio! Esta forma nominal de verbo, não pode constar em nenhum orgão do governo de Brasília. O gerúndio foi descrito como desculpa de "ineficiência".

Gerúndio = uma das formas nominais do verbo, formada pelo sufixo "ndo", que indica continuidade de uma ação.

Os brasileiros usam o gerúndio, os portuguêses o infinitivo. Concordo que o gerúndio é usado com abuso e exagero entre os brasileiros, mas manipular o português me pareceu uma medida precipitada e autoritária.
Será que o governador não encontrou uma outra solução mais centrada?


Via Folha Online


publicado por varalcomroupas às 11:40 | link do post | Converse comigo! | ver comentários (4) | favorito

Domingo, 09.09.07


Eu lembro que o meu querido professor de português, Pedro Apolinário, enfatizava a maioria destes erros. São erros que, segundo a revista Veja, comprometem a vida social e pretensão profissional.

1- Houveram problemas.
"Houve" problemas. Haver, no sentido de existir, é sempre impessoal.


2- Se ele dispor
de tempo.
É erro grave conjugar de forma regular os verbos derivados de ter, vir e pôr. Neste caso, o certo é "dispuser".


3- Espero que ele seje feliz e Vieram menas pessoas.
Dois erros inadmissíveis. A conjugação "seje" não existe. E "menos" não concorda com o substantivo, pois é advérbio e não adjetivo.

4- Ela ficou meia nervosa.
"Meio" nervosa. Os advérbios não têm concordância de gênero.

5- Segue anexo
duas cópias do contrato.
Atenção para com a concordância verbal e nominal: "seguem anexas".

6- Esse assunto é entre eu e ela.
Depois de preposição, pronome oblíquo tônico: entre "mim" e ela.

7- A professora deu um trabalho para mim fazer.
Antes de verbo, usa-se o pronome pessoal, e não oblíquo: para "eu" fazer.

8- Fazem dois meses que ele não aparece.
O verbo fazer indicando tempo é impessoal: "faz" dois meses.

9- Vou estar providenciando o seu pagamento.
O chamado "gerundismo" não chega a ser erro gramatical, mas é um vício insuportável. "Vou providenciar" é mais elegante.

10- O problema vai ser resolvido a nível de empresa.
O febrão do "a nível de" parece ter passado, mas ainda há quem utilize essa expressão pavorosa. Na frase em questão, "na" ou "pela" empresa são mais exatos e elegantes.


(Jerônimo Teixeira)
Via Veja.





publicado por varalcomroupas às 12:28 | link do post | Converse comigo! | ver comentários (4) | favorito

O dia-a-dia de uma mulher comum, num condomínio popular em São Paulo.
mais sobre mim
Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

José Roberto Arruda proíb...

Pecados da língua.

arquivos

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

tags

acordar

alimentos

antenado sempre

apple

arte

artigos

bichos

blogosfera

blogs

brasil

brinquedo

café da manhã

casa e jardim

cidadão

cidades

ciência

coisas grátis

comidas

conceito

conto

crônicas

design

dneero

ecologia

editor de fotos

empreendimento

feeds

filme

fotografia

fotos

google

histórias de são paulo

http://technorati.com/tag/blogday2007

humor

internet

livros

macbook

meme

meu dia-a-dia

microsoft

monetização

música

natal

nerd

notebook

notícias

orkut

personalidades

pesquisas

política

português

prêmios

problogger

promoções

publicidade

redes sociais

relógio

saúde

sem categoria

software

solidariedade

tecnologia

testes

vídeos

vizinho

workshop

xícaras e canecas

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds